IRepórter

Maiquinique: Acusado de esfaquear ex-mulher após vê-la com outro homem é preso

Um homem de 46 anos foi preso, na noite de sexta-feira (25), no Centro da cidade de Maiquinique, acusado de esfaquear a ex-esposa, 33 anos.

De acordo com a Polícia Militar, responsável por atender a ocorrência, Manoel Fernandes Sousa deu uma facada na clavícula esquerda da vítima. O crime aconteceu em um bar depois de um desentendimento entre o homem e a mulher.

Ainda segundo a polícia, o acusado foi até a residência, armou-se com uma faca e retornou para o estabelecimento comercial. Lá, encontrou a ex- companheira com outro homem, e desferiu um golpe de faca contra ela.

A mulher foi socorrida e levada ao hospital local, mas foi transferida para o
Hospital de Base de Vitória da Conquista para melhor avaliação médica.

Manoel tentou fugir, porém, acabou detido por populares, junto com arma do crime (foto). A Polícia Militar foi acionada e apresentou o flagrante na delegacia.

Segundo a Polícia Civil, o homem, que já havia sido preso por violência doméstica, não aceita o fim do relacionamento. Ele foi autuado em flagrante por tentativa de feminicídio e segue preso.

Itapetinga/Macarani: “Em breve vamos inaugurá-la”, diz Rui Costa sobre BA-270

Na tarde desta sexta-feira (18), o Governador da Bahia, Rui Costa, fez uma postagem em suas redes sociais, registrando a recuperação da BA-270, que liga o Mangerona ao município de Macarani. A ‘belezura’ de 15,50 km, postada pelo governador, esconde uma realidade cheia de buracos, no trecho entrocamento a Itapetinga e Maiquinique, que afeta a vida do moradores dos municípios citados.

A obra de recuperação dos 15 km da BA-270, superou o valor dos 900 mil reais para o serviço, de tapa buracos, banho de um produto asfáltico e areia.

Só no período de recuperação da BA-270, mais de 3 acidentes foram registrados, devido a areia fina espalhada pela pista, deixando vítimas com escoriações leves.

O trecho da BA-130, que liga entrocamento a Itapetinga, está um buraqueiro, tendo os motoristas a tomarem mais cuidado, reduzindo a velocidade e aumentando o tempo de viagem para Macarani. Já a estrada que liga entrocamento a Maiquinique, acabou, o que se ver é o resto do asfalto e boa parte da rodovia é só terra batida. Dois ônibus, quase tombaram em viagens a sentido de Maiquinique, tentando desviar dos buracos.

(oresponsavel)

Suspeito de tráfico de drogas morre durante ação policial em Maiquinique

Um homem de 25 anos foi socorrido e levado ao hospital de Maiquinique, no interior da Bahia, no começo da tarde deste domingo (13), após ter sido baleado, no bairro Morumbi. 

As primeiras informações dão conta que Ricardo Oliveira Reis foi atingido durante uma ocorrência policial, realizada pela CIPE Sudoeste (antiga Caesg), juntamente com a Polícia Militar local.

 Ainda de acordo com as primeiras informações, ele foi socorrido  e levado ao hospital pelos próprios policiais, mas não resistiu.

Ao menos duas pessoas foram detidas durante a operação policial. Ricardo era suspeito de tráfico de drogas no município, segundo a polícia.  Ainda não há informações do material apreendido na ocorrência.

O corpo do homem será encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), na cidade de Itapetinga, e depois do exame de necropsia será liberado para a família.

Maiquinique: Após interdição, moradores alegam que mineradora continua funcionando; assista

Moradores da área onde fica a barragem de rejeitos de mineração que foi interditada, no início da semana, na zona rural do município de Maiquinique, no sudoeste da Bahia, denunciam que a empresa segue em operação, mesmo com determinação para não funcionar.

“Ninguém parou. Tá todo mundo trabalhando. O povo está todo aí. Os caminhões estão rodando”, disse o pecuarista Edinilson Silva.

A mineradora foi interditada pela Agência Nacional de Mineração (ANM), na terça-feira (9), após uma avaliação técnica, que classificou a unidade na categoria de risco alto, tornando a represa uma das três de maior ameaça no país.

Neste sentido, a barragem apresenta risco maior que as de Brumadinho e Mariana – onde aconteceram as tragédias que deixaram centenas de mortos em Minas Gerais -, que eram consideradas de risco baixo.

Open chat