IRepórter

Covid-19| Mais três mortes são registradas no município de Itapetinga

Foto: reprodução

A chuva que atingiu o município de Itapetinga, no interior da Bahia, deixou ao menos quatro mil pessoas desalojadas. Uma criança de 9 anos morreu depois que o muro da casa onde ela estava cedeu e atingiu a sala da residência. O cenário ainda é de destruição; ruas esburacadas, muita sujeira e pessoas em vulnerabilidade social, sobrevivendo com apoio do poder público, empresas privadas e pessoas anônimas.

A catástrofe, marketing, festa

A catástrofe chamou atenção da Bahia, do Brasil e até do mundo. Automaticamente, não se falava mais de Covid-19, parecia que o vírus havia sido levado pelas águas do rio Catolé. Alguns políticos aproveitaram a tragédia para fazer marketing pessoal. A vontade de aparecer era tão grande que esqueceram até da máscara de proteção contra Covid e outros vírus.

Uma festa de grande porte e que estava programada para acontecer horas antes da catástrofe foi cancelada. O cancelamento ocorreu, conforme a organização do evento, em respeito às vítimas da chuva.

Infelizmente, a pandemia não acabou

Engana-se quem pensa que o Coronavírus foi embora da capital do Médio Sudoeste da Bahia. A prefeitura local, através do boletim diário, disse que o vírus está ativo em 34 pessoas. A vigilância epidemiológica realiza o monitoramento de 84 pessoas. Oficialmente, 5. 883 moradores se recuperaram da Covid.

Novas mortes

O mesmo boletim epidemiológico informa que, nos últimos dias, mais três pessoas morreram no município de Itapetinga em decorrência do Coronavírus.

Um dos pacientes, 94 anos, morreu no hospital Cristo Redentor; outro, 88 anos, faleceu na UPA. O 3º paciente morreu em Vitória da Conquista, mais precisamente no hospital São Vicente. Ele tinha 95 anos.

As informações foram apuradas pelo iRepórter (ItapetingaRepórter), porém, a identidade das vítimas [sendo dois homens e uma mulher], não será divulgada pelo site.

Vacina

A população interessada está sendo vacinada contra a Covid-19 nos postos de saúde Guilherme Dias, Idalécio Andrade, José Luna, Bandeira do Colônia, Arnaldo Teixeira e Vila Riachão. Detalhe, o morador só pode tomar a dose de reforço quatro meses após a segunda dose.

Clique AQUI para mais notícias de Itapetinga, Conquista e região


Curta e Compartilhe.


Leia Também

Open chat