Em discurso na tarde desta terça-feira (19) na Assembleia Legislativa da Bahia, o deputado Rosemberg Pinto (PT) negou que tenha indicado um juiz eleitoral para eleições suplementares em Camamu e disse que apenas cumpriu seu “papel de parlamentar”, ao tratar do assunto com o desembargador Gesivaldo Britto, presidente do Tribunal de Justiça da Bahia.

O diálogo foi transcrito em decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), no âmbito da Operação Faroeste.

“O juiz local, substituto, estava de férias. Como parlamentar mais votado na cidade, pedi ao TJ que indicasse um juiz para que acompanhasse aquelas eleições, por se tratar de uma eleição suplementar, especial. […] Não indiquei nenhum juiz, pedi apenas que colocasse um juiz”, declarou Rosemberg. (Bahia.ba)

Entenda o caso, clicando aqui:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui