“Não me acovardo diante dos problemas”, diz novo comandante da 8ª CIPM

0

Por IRepórter/Eudo Mendes

“Fico feliz em saber que o meu trabalho foi reconhecido ao ponto de ter sido escolhido, dentre outros comandantes, a liderar essa tropa”.  A frase é do novo comandante da 8ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Itapetinga), Vandilson Santos Araújo. Ele convidou a imprensa para uma reunião na última sexta-feira (3) na sede da própria companhia, em Itapetinga.

De perfil operacional, Araújo tem 23 anos de relevantes serviços prestados a Polícia Militar baiana, sendo 10 anos dedicados a Rondesp, em Salvador.  Ele comandou a PM de Livramento de Nossa Senhora, que atualmente tem como comandante a major Cleise Delfine da Costa. A solenidade de troca de comando aconteceu no último dia 23 na cidade de Vitória da Conquista.

“Na verdade, eu recebi um desafio, era comandante da PM em Livramento, que tem 9 munícipios, e agora designado para uma companhia que tem 13 municípios”, comentou o major.  

O novo comandante promete investir pesado no combate aos crimes de tráfico de drogas, roubo e furto de gado, poluição sonora e outros delitos. Segundo ele, é necessário que a Polícia Militar, Polícia Civil, Ministério Público e o Judiciário trabalhem juntos, porque “a Polícia Militar é apenas uma parte do sistema”.

“Não me acovardo diante dos problemas. Não tenho medo de facção.  Vamos para o enfrentamento se for necessário”, concluiu o comandante.

Projetos sociais para crianças e adolescentes fazem parte dos planos do major Araújo, que durante a reunião esteve acompanhando do subcomandante da unidade, capitão PM David.

“A gente tem um efetivo destinado ao Proerd e esse efetivo não conseguiria abranger todas as cidades ao mesmo tempo”, disse o capitão, ressaltando que o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência deverá ser implantando nos próximos meses, em Itapetinga.

Ainda segundo o capitão, o Proerd já acontece em algumas cidades da região.  A ideia também é realizar eventos com crianças e adolescentes no interior da companhia.

“O trabalho da imprensa é fundamental para da transparência na atividade policial, tanto na divulgação quanto para prestar conta do que for necessário”, disse o major. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui