IRepórter

Negociação de Lula com o MDB do nordeste também mira a Bahia

O avançar da articulação do ex-presidente Lula (PT) de aproximação com o MDB do Nordeste abarca também conversas com a sigla em solo baiano. O adiamento da visita do pré-candidato a presidência da República em 2022 na região por causa do avançar da pandemia não o fez desistir das reuniões e manteve contatos por telefone, conforme noticiado pela coluna Radar. Mas esse empenho tem motivos de sobra para acontecer. A Bahia ainda não foi confirmada no périplo virtual do petista, mas fontes relataram ao BNews, nesta segunda-feira (7), que o senador Jaques Wagner (PT), pretenso candidato ao governo, conhecido por seu viés articulador, não tem poupado esforços em realinhar o apoio dos emedebistas e está cuidando pessoalmente no diálogo.

O MDB foi um aliado história de Jaques Wagner. Ambos compuseram a chapa vitoriosa contra Paulo Souto (DEM) em 2006. Edmundo Pereira foi o vice de JW naquela gestão e a sigla ocupou diversos espaços, a exemplo da secretaria da Infraestrutura. Romperam no percurso até 2010, quando Geddel, naquele ano, lançou candidatura própria ao governo e depois se aliou ao grupo de ACM Neto (DEM).

O ex-deputado federal Lúcio Vieira Lima, um dos caciques da legenda, em entrevista a rádio Piatã FM, na última semana, confirmou que não tem compromisso firmado com nenhum dos nomes postos para a disputa pelo Palácio de Ondina. A declaração fora vista como uma senha de que está em aberto a situação do diálogo com diversas frentes, inclusive o PT, apesar de não ter confirmado nominalmente qualquer tipo de conversa.


Curta e Compartilhe.


Leia Também

Open chat