IRepórter

Justiça ordena que viúva de Gugu receba pensão mensal de R$ 100 mil

A Justiça de São Paulo determinou que Rose Miriam di Matteo, viúva de Gugu Liberato, receba pensão de R$ 100 mil por mês. A informação é da coluna de Mõnica Bergamo na Folha de S. Paulo.

A decisão da 9ª Vara da Família e das Sucessões do Foro Central da Capital do Tribunal de Justiça de São Paulo destaca que esse valor é similar ao que Gugu destinou para a mãe, Maria do Céu.

“A decisão foi sensível ao momento que passa Rose Miriam. Após a morte de Gugu, que era o mantenedor dela e dos filhos, ela ficou sem recursos até para manter as despesas de casa, já que a inventariante do espólio é a irmã de Gugu, que não repassou absolutamente nada para Rose”, diz o advogado Nelson Willians, um dos representantes de Rose.

Rose acionou a Justiça em dezembro, depois da morte de Gugu, pedindo reconhecimento de união estável com o apresentador. O relacionamento dos dois durou duas décadas e juntos tiveram três filhos. Contudo, Rose não foi casada oficialmente com Gugu e ele não a incluiu no testamento, feito em 2011.

Tirada do testamento
Rose apresentou requerimento à Justiça pedindo para ser a inventariante dos bens deixados por ele. Ela afirma que, além de companheira dele por quase duas décadas, é também a representante legal de Sofia e Marina, de 16 anos, gêmeas e filhas caçulas que teve com o apresentador.

No testamento assinado em 2011, Gugu excluiu Rose Miriam do usufruto e da administração do patrimônio deixado aos filhos e sobrinhos, e delegou a função de inventariante de sua herança e curadora das crianças para a irmã dele, Aparecida Liberato. Na semana passada, Rose anunciou que vai à Justiça também para pedir o reconhecimento de união estável que alega ter mantido com Gugu —o que lhe daria direito à metade da herança.

Segundo a médica, Gugu teria lhe excluído do testamento, já que na época em que o documento foi feito os dois estavam passando por uma “crise na união”. Entretanto, eles reataram depois disso. “Qualquer mulher no meu lugar faria isso. Está parecendo que é uma briga. Mas não é. Eu tenho todo o direito de me colocar no meu lugar – infelizmente, na condição de viúva”, explicou ela para a coluna de Monica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo.


Curta e Compartilhe.


Leia Também

Open chat