No grupo que atirou contra uma viatura da Polícia Militar em Tancredo Neves, na noite desta quarta-feira (9), haviam integrantes do movimento que convocou greve. É o que aponta os depoimentos dos policiais ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa.

Os policiais, vítimas do ataque, afirmaram que o modo de atuação dos homens que abordaram a equipe não era característico do habitual enfrentado no dia a dia. No documento, um dos policiais é enfático ao relacionar o ato criminoso ao movimento de greve. A polícia também investiga se o chamado que gerou a saída da equipe policial foi forjado pelo grupo que atentou contra a viatura.

O subcomandante-geral da PM, coronel Paulo Uzêda, afirmou que o caso está sendo investigado pela Corregedoria da Polícia Militar: “A Corregedoria está investigando a fundo essa ocorrência, em parceira com a Polícia Civil. Os relatos das vítimas foram fundamentais e agora estamos na busca de câmeras e de outras testemunhas”. (VN)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui