IRepórter

Mulher é presa por maus-tratos após cachorro ser resgatado em Itapetinga

Por IREPÓRTER/EUDO MENDES

SOS Animais de Rua e GCM

Uma mulher de 25 anos foi conduzida e apresentada no Complexo Policial, sob acusação de crime de maus-tratos contra animais domésticos. O flagrante aconteceu na manhã dessa quarta-feira (10), no residencial 12 de Dezembro, em Itapetinga, no Médio Sudoeste baiano.

Acusada colocada na viatura e levada pra delegacia

Tudo começou quando agentes da Guarda Civil Municipal (GCM) receberam informações da existência de um cachorro com sinais de maus-tratos, mantido no quintal de uma residência na localidade.

A instituição SOS Animais de Rua (sem fins lucrativos) acompanhou ocorrência e comprovou a veracidade da denúncia, juntamente com os agentes, os quais foram recebidos pela responsável pelo animal.

O cenário encontrado no quintal do imóvel era aterrorizante. Um cachorro de médio porte, raça vira-lata, com visíveis sinais de maus-tratos, cercado de muito lixo, inclusive, das próprias fezes, que estavam ali há meses. Mesmo fazendo uso de máscara era difícil permanecer no local por causa do mau cheiro.

Em meio a tanto lixo, vasilhames e panelas, não existia um grão de ração, nenhuma gota d’água para o animal, que foi alimentado ali mesmo pela SOS Animais de Rua (veja o vídeo).

O caso chocou até mesmo os agentes da Guarda Civil Municipal que estão acostumados com situações diversas.
O que também chamou a atenção foi à atitude do animal com as pessoas que participaram do resgate. Em nenhum momento ele demonstrou agressividade, parecia feliz com a presença da equipe, inclusive, retribuiu com “abraços” e carinho.

Os agentes deram voz de prisão a moradora. Na delegacia, durante conversa com a reportagem, ela disse que estava com o cachorro há seis meses, porém, o animal pertence um ex-colega de trabalho, que está morando na zona rural. Alegou também falta de tempo e dinheiro para cuidar do bichinho.

Acusada foi autuada em flagrante com base no artigo 32 da lei 9.605/98. Ela deixou a delegacia após assinar um Termo de Ocorrência Circunstanciado (TCO). O caso será encaminhado à justiça. A mulher não contava com passagens na polícia.

“Romeu” de casa nova

O cachorro recebeu atendimento veterinário, foi adotado, ganhou um nome e uma nova história.


Curta e Compartilhe.


Leia Também

Open chat